Como Coelho se preparou para um nova chance no Corinthians

Como Coelho se preparou para um nova chance no Corinthians

Ainda não se sabe se Dyego Coelho será efetivado como técnico do Corinthians. Mas há uma certeza: de que um novo treinador diferente de 2019 vem aí, muito além da motivação de vestiário.

Cursos, livros e estudos no Brasil não são novidades para Coelho. Com a Licença B da CBF, Coelho foi atrás, e está com a Licença A. Não satisfeito, nos próximos meses deve iniciar a Licença Pro.

O Brasil não era o bastante. Coelho ia em busca de conhecimento de Futebol Internacional. Antes da Pandemia, durante Janeiro, Fevereiro e começo de Março, esteve na Argentina estudando in loco vários clubes, em um intercâmbio, comum entre grandes técnicos que hoje estão em competições europeias de peso.

Entre eles, o Velez Sarsfield, do conceituado técnico Gabriel Heinze. E depois, Espanha e Itália, no CT Cerro Del Espino, do Atlético de Madrid de Simeone e na Atalanta de Gasperini, sensação da Champions League. O treinador corinthiano tinha planos de ficar muito mais, interrompidos pelo COVID-19.

Soma-se aos estudos, o conhecimento da categoria de base, e saber pilhar positivamente o time do Corinthians. Grandes armas numa situação delicada.

É verdade. Apenas motivar, de fato, sem conteúdo, me parece algo ineficaz. Mas soma-se a parte tática, técnica e seus conceitos modernos, a motivação e a linguagem do atleta para que o grupo absorva tudo isso. Coelho vem com bagagem de campo e bola para que os gritos não sejam algo vazio e ultrapassado. E a apatia pra reverter resultados era um problema seríssimo de Tiago Nunes.

Um novo Coelho, bem superior a 2019 vem aí. Não é uma garantia de sucesso. Mas que o treinador está muito mais preparado que o ano anterior, não há dúvidas.

LEIA TAMBÉM:
- Jô é suspenso e desfalca o Corinthians nos próximos dois jogos.