Corinthians vive expectativa de se livrar de dívida com a prefeitura

Recentes decisões na Câmara Municipal poderão fazer com que o Corinthians se livre de uma obrigação de pagar R$22,1 milhões à Prefeitura de São Paulo.

Foto: Divulgação / Corinthians

Uma decisão publicada no Diário Oficial em 23 de novembro, obriga o Corinthians a pagar esse montante por conta de uma sentença já dada. De acordo com a Gazeta Esportiva, o clube alegou não ter o dinheiro no momento e pediu prazos de pagamento para a Prefeitura.

Acredita-se que isso faz parte da estratégia de aguardar a aprovação do Projeto de Lei 151/2019, sobre terrenos ligados ao governo. O projeto recebeu sete emendas, todas aprovdas pela Câmara Municipal, e a última é de interesse do clube. Inserida em 11 de dezembro de 2020 por Rodrigo Goulart (PSD), Milton Leite (DEM) e Toninho Paiva (PL), ela devolve novamente ao Corinthians uma área de 18 mil m², pelo período de 40 anos.

Isso derrubaria os débitos existentes, pois acabaria com o objeto da ação.

A área pela qual o clube foi multado foi cedida a instituição em 1996, por um período de 99 anos. Uma ação, que começou 2010, acabou essa cessão e, em junho de 2020, a juíza Luiza Barros Rozas determinou o cumprimento da sentença. A condenação inicial foi de R$ 19.5 milhões, e teve um acréscimo de valor por conta de correções e honorários advocatícios.

A PL que interessa ao Corinthians passará por avaliação de constitucionalidade e seguirá para sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB). Atualmente não há nenhuma previsão de quando isso pode acontecer.

Leia também:
- Jonathan Cafú testa positivo para covid-19