Opinião: Indústria de Fake News no Futebol confunde a Fiel e congestiona programas

Opinião: Indústria de Fake News no Futebol confunde a Fiel e congestiona programas

É FAKE NEWS: Cuidado com sites falsos que divulgam vagas de emprego no SESI  e no SENAI - Agência CNI de Notícias

Responda rápido: Qual dessas notícias você já leu ou ouviu nas Redes Sociais nas últimas semanas? Balbuena de volta? Luan negociado? Xavier no Lyon? Paquetá no Corinthians? Kia Joorabchian de volta ao clube? Romero de volta ao Corinthians?

Pois é. Todas elas, além de envolver o Corinthians, possuem outra característica em comum: São Fake News. Todas. Notícias inventadas sabe Deus por quem, para angariar cliquee, likes ou pageviews, sem qualquer veracidade (valores completamente fora da realidade, negociações de fora do país com mercado fechado, atletas que acabaram de chegar num clube saindo para supostamente vir ao Corinthians, etc) que tiram tempo de assuntos sérios, verídicos em programas sérios, de emissoras grandes para desmenti-las ou pior: debatê-las.

Vamos pegar uma delas para analisar. Por exemplo, a do Paquetá. Como o Paquetá poderia vir ao Corinthians com o mercado do exterior fechado pra trazer atletas para o Brasil? O Corinthians, nem com investidor bilionário poderia trazer Paquetá simplesmente porque não é possível contratar atleta algum do exterior no momento. Logo, Fake News.

A coisa ainda piora quando além da notícia Fake ser inventada, ainda creditam a mesma a jornalistas sérios, que jamais disseram o absurdo. João Paulo Cappellanes e André Hernán (este segundo, mais em notícias do São Paulo) figuram direto como vítimas das Fake News do Futebol. Vá a fundo. Analise. Cheque a veracidade. Veja se saiu em outros veículos sérios como o Globo Esporte, a ESPN, o Lance! ou a Gazeta Esportiva. O Corinthians nada tem a ganhar com elas e o torcedor, menos ainda.