Zé Maria alerta Fernando Lázaro em início de trabalho no Corinthians
Zé Maria alerta Fernando Lázaro em início de trabalho no Corinthians
Zé Maria alerta Fernando Lázaro em início de trabalho no Corinthians. Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Zé Maria alerta Fernando Lázaro em início de trabalho no Corinthians

O ídolo do Corinthians revelou conversas com o filho para melhorar o time

Fernando Lázaro não seguiu os passos do pai como jogador, mas hoje treina a equipe do qual Zé Maria fez parte nos anos 70. O atual treinador do Corinthians conta com toda ajuda do ídolo corinthiano.

Zé Maria foi o quinto jogador que mais atuou com a camisa do Timão, e revelou estar dando ‘toques’ para que o filho ajeite o time.

Super Zé de olho na defesa do Corinthians

Zé Maria alerta Fernando Lázaro em início de trabalho no Corinthians
Lázaro e Zé Maria conversando. Foto: Reprodução / Corinthians

 

Antes do Dérbi contra o Palmeiras o volante e ídolo da fiel, alertou Lázaro para ajeitar logo a defesa para ele não passar vergonha vendo o filho no comando.

“Acerta essa defesa, senão eu vou passar vergonha aqui!”, disse Zé Maria antes do empate por 2 a 2 contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista.

O Super Zé ainda comentou que essas conversas relacionadas ao sistema defensivo da equipe são frequentes entre os dois e que é necessário muito treino para ajeitar isso, diferente do ataque onde a qualidade e a abundância de elementos é maior.

Falo para ele com frequência que tem que acertar essa defesa. Do meio para frente, tem elementos e qualidade, inclusive. Agora, a defesa tem que treinar muito, disse o Super Zé em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Zé Maria foi o quinto jogador que mais atuou pelo clube com 598 jogos e 9 títulos conquistados, tudo isso durante a década de 70, por isso ele destacou que as funções são muito diferentes entre as épocas, não dando muito para comparar, mas sim dar um toque ou outro para auxiliar melhor Lázaro nesse seu início.

“São funções hoje diferentes da minha (quando jogava), na época a gente era defensor mesmo. Hoje não, tem que ser esperto. Às vezes joga com três zagueiros, antigamente era um volante só, hoje já são dois volantes. A gente tenta passar alguma coisa para acrescentar no currículo dele. Isso eu tento fazer”,

Ele tem um pouco de Zé

O Super Zé já foi treinador do Timão na década de 80, comandando a equipe em dez jogos, com três vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas.

Sobre isso, o ídolo da fiel comentou ver traços de sua personalidade como jogador e técnico em seu filho na hora de tomar suas decisões a beira do campo.

“Ele tem um pouco do Zé. Ele também é um pouco quietão, mas na hora que tinha que tomar decisões, eu tomava. Cheguei a ser o capitão do time e respeitava os companheiros, falava quando tinha que falar e não falava quando não tinha que falar. Isso tudo ele pegou um pouco (de mim). Acho que é bom”

Conversa com Renato Augusto

Ainda nessa entrevista, Zé Maria comentou que quando Fernando foi assumir a equipe de modo interino pela segunda oportunidade, após a demissão de Sylvinho, o ídolo conversou com Renato Augusto e outros atletas da equipe, pedindo que eles ajudassem Fernando, que na época não era de fato treinador.

“Na segunda vez que ele assumiu como interino, conversei muito com o Renato e outros jogadores. Falei ‘poxa, vai depender de vocês agora, ele ainda não é um treinador, é um interino que vai procurar ajudar vocês’. Como eu fui na minha época de jogador, porque também tive esse antecedente”

Gabrielle Senna: Jornalista e pós graduada em Jornalismo Esportivo. Atuei como repórter e comentarista de rádio e hoje escrevo e cubro o time do meu coração Corinthians. Henrique Vigliotti: Jornalista esportivo, formado pela Universidade Anhembi Morumbi, determinado e apaixonado por futebol e pelo Corinthians.