Dyego Coelho e o período de um Corinthians sem respostas

Marcelo Alexandre Becker

A demissão de Tiago Nunes era um alento de melhora no Corinthians. Mas um mês depois, com Dyego Coelho como interino, não foi o que se viu. O time despencou na tabela do Brasileirão.

corinthians coelho técnico mancini brasileiro idcsccp identidade corinthiana
Coelho não quis falar sobre o “sumiço” de Xavier (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

O “último ato” do interino no comando da time da Neo Química Arena ocorreu ontem (11), na derrota por 2 x 1 para o Ceará. O resultado fez o Corinthians entrar na zona de rebaixamento.

Na entrevista coletiva após a partida, o jornalista João Paulo Cappellanes, da Rádio Bandeirantes fez para Coelho a pergunta que muitos torcedores gostariam de fazer.

“Coelho, você começou o jogo de hoje (ontem) com três volantes. Entre eles Éderson, que ficou sem ser relacionado em três partidas. Eu gostaria de saber, qual é o critério de escolha, por favor: como um jogador que não é relacionado por opção sua, passa a ser titular num jogo decisivo, e por quê ‘meio que do nada’, para nossa surpresa, o Xaivier ‘meio que sumiu do time’?“, indagou o jornalista.

Com isso, o então técnico interino do Timão preferiu não responder, e apenas falou.

“Próxima pergunta, por favor”, e assim terminou o período de Dyego Coelho no comando técnico do time principal do Corinthians.

https://www.youtube.com/watch?v=NwAEb6CoIg0

Deixe um comentário