Comandante do Corinthians, Coelho confessa gostar de postura ofensiva da equipe

Henrique Manfio

Por ser da base do clube do Parque São Jorge e ter tendência a seguir os passos de Fábio Carille, Mano Menezes e Tite, Dyego Coelho passou a ser tratada como o novo retranqueiro do time, o que o mesmo disse não ser verdade.

boa
Dyego confessou gostar de postura mais ofensiva de sua equipe. (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Em entrevista coletiva, Dyego Coelho revelou como gosta de jogar com o seu time: pressionar o time adversário, ter profundidade, compactar a última linha e, obivamente, buscar sempre a ofensividade em campo.

“Claro que quero ser agressivo sempre, marcar pressão sempre, dar profundidade sempre, compactar muito bem a última linha para quando a gente for pressionar o time adversário, mas as características fogem um pouquinho disso, temos que adaptar nossa ideia com o que temos.”, disse Coelho, que logo depois seguiu falando sobre o elenco.

“São grandes jogadores e precisamos entendê-los, esse é o maior desafio, fazemos isso no treino, principalmente quando estamos com a bola, usar cada jogador da melhor forma possível para a gente montar a nossa ideia, nossos treinos e nosso esquema de jogo”, completou.

O CONTRASTE DA BASE E O PROFISSIONAL

“Na base eu gosto de ser sempre mais agressivo, e isso podemos ser, mas de maneira diferente, com uma característica de jogadores com mais posse, com mais qualidade, com mais inteligência quando está com a bola, não aquele jogo de toda hora estar atacando o fundo e dar profundidade, pois não temos essa característica.“, revelou Dyego.

Posteriormente, o Corinthians terá pela frente o Atlético-GO, nesta quarta-feira (30), às 21h30, na Neo Química Arena.

LEIA TAMBÉM:

- Dyego Coelho fala sobre disputa no meio-campo do Corinthians: “tem muita briga nos treinamentos”

Deixe um comentário