Andrés fala sobre transparência no Corinthians, Mario Gobbi e de “bolão” sobre quando seria preso

Marcelo Alexandre Becker

Adorado por uns, odiado por outros. Assim te sido os últimos tempos de Andrés Sanchez como presidente do Corinthians. No cargo até dezembro deste ano, o mandatário máximo do clube do Parque São Jorge segue concedendo entrevistas fortes.

andres sanchez
Andrés concedeu entrevista à Folha de S. Paulo (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Para Benjamin Back, apresentador dos canais de esportes do Grupo Disney, no programa “De Frente com o Benja”, Sanchez falou muito sobre o “campo e bola”, citando Rogério Ceni, Carille e o ex-zagueiro Chicão.

Já para o jornal Folha de S. Paulo, em entrevista concedia para o jornalista Alexa Sabino, publicada na edição de ontem (19), o momento político rendeu fortes declarações. Uma delas sobre a gestão de sua diretoria.

“A transparência (em referência ao nome de sua chapa: “Renovação e Transparência”) existe. As portas da minha sala estão abertas. Eu mostro todos os documentos a qualquer conselheiro que vier aqui”, disse Sanchez, que em outro momento da entrevista falou sobre Mario Gobbi, candidato a presidência do clube, e seu antigo aliado na politica corinthiana.

“Eu tenho bronca do pessoal com o qual o Gobbi se aliou. Gente que ele nem sabe, mas que o chamava de ladrão. Eles fizeram bolão para adivinhar quando eu seria preso. Isso é imperdoável. A ganância desses engravatados que não gostam e não frequentam o Corinthians é incrível”.

LEIA TAMBÉM: 
- Xavier relata amor pelo Corinthians, passado como zagueiro e idolatria por Gil.

Deixe um comentário